quinta-feira, 31 de março de 2016

REVOLTA DO MOSQUITO POR SER ACUSADO




O mosquito perguntou:
“Meu amigo Poeta,
Você já ouviu e analisou
A desagradável conversa?


Sei que você me conhece,
Vê o calibre do meu corpo,
O povo me vê na Internet,
Repleto de júbilo e gosto.


O que você acha sobre mim?
Você acha que o meu corpo
Aturaria tantas pestes assim,
Como diz esse povo louco?


Quer dizer que essa gente
Não está suportando a dor
Quando fica então doente,
Acha que aguentar eu vou?


Quem já me viu deitado
Com essas dores nas juntas,
Ou já me viu internado?
Agora, Poeta, assunta,


Se esse povo não aguenta
Essas pestes inventadas,
Eu que vou trazer doenças
E ficar de juntas inchadas?


Acha que eu sou um besta
Para botar dores em mim?
Que o povo tire da cabeça,
As coisas não são bem assim.”


Mário Querino – Poeta de Deus 

Poeta Mário Querino 31/03/2016

QUEIXA DOS ANIMAIS ACUSADOS POR CAUSA DAS PESTES

Poeta Mário Querino 31/03/2016


Reuniram-se vários animais
Para fazer queixa ao Poeta.
O Poeta escreve em paz
Tudo ditado na hora certa.


Então chegou o carrapato,
O rato, o porco, a mosca,
A galinha, o pombo, o gato,
O barbeiro, a vaca louca


E ainda o amigo mosquito.
É óbvio, muitos queriam
Vir visitar este bom Distrito
Neste maravilhoso dia.


Porém, resolveram deixar
Na responsabilidade destes
Que vieram me solicitar
A queixa com o interesse


De uma suasória orientação.
Claro, cada animal falou sim,
O que sente o seu coração
Perante o Criador e a mim.


Não teve nenhum conflito,
Cada qual teve sua queixa,
Só o meu amigo mosquito
Disse: “Amigo Poeta, deixa


Tudo registrado na Internet,
Para verem que não somos
Causadores dessas pestes
Que dizem esses mordomos


Que aprontam o que quer,
Depois adoecem e culpam
Os animais que dão vida até
A quem fala na rede pública


Que, é para o ser humano
Acabar com todos nós.
Poeta, já estive pensando
Em levantar a minha voz


Junto com os meus amigos
Que estão neste reproche.
Somos agora os excluídos,
Mas continuaremos fortes.


Agora profetizo, vão surgir sim,
Vírus do homem e da mulher,
E vão sentir tintim por tintim.
Pois previu Jesus de Nazaré.”



Mário Querino – Poeta de Deus 

DEIXE O POVO À VONTADE, DEUS CHAMA A QUEM ELE QUISER

Poeta Mário Querino 31/03/2016


Sempre ouço pregação
Contra o preconceito,
Mas membro de religião
Já ensinou deste jeito:


“Se um crente chegar
Na sua casa, irmãos,
Jamais o deixe entrar.”
Isso é falta de educação.


Deus não quer que aconteça
Isso entre seu amado povo.
Isso é coisa da cabeça
E um ensinamento novo


Que o Senhor Deus reprova.
Essas pessoas estão criando
Uma indiferença nova
Que deixa o povo voando.


Se um religioso quer manter
O povo na sua igreja,
Fale a verdade com poder,
Porque hoje o povo almeja


Ouvir uma palavra certa
Que venha preencher a vida.
Todos já têm mente aberta
E uma visão esclarecida.


Assim, qualquer religioso,
Deixe o povo à vontade,
Pregue a Palavra com gozo
E baseado na verdade.


Deixe que o Espírito Santo
Converta as pessoas.
A semente jogada no canto
De uma terra boa,


Obviamente vai nascer,
E com grande vigor
Vai crescer, crescer, crescer
E dar frutos com esplendor.


Então vejo o preconceito
Até entre o povo de Deus.
Fechar a porta desse jeito,
Deus fecha também o Céu.


O crente não é perfeito,
Mas quer o bem pra nação.
Se o crente tiver preconceito,
Pode perder a sua salvação.


Porque Jesus Cristo falou:
“Aquele que me renegar,
Também renegar eu vou
Quando no Reino chegar.”


Acho uma falta de educação
De um religioso que faz
Essa tamanha exclusão
De quem chega com a Paz.


Mário Querino – Poeta de Deus 

SOMENTE RECEBE BÊNÇÃOS QUEM SE PREPARA

Poeta Mário Querino 31/03/2016


Um amigo pediu a Deus
Um carro para trabalhar.
Daí em sonho percebeu
Que Deus iria lhe dar.

Porém sentiu vontade
De agradecer ao Senhor,
Por ter a oportunidade
De atingir o que sonhou.

Então ouviu uma voz:
“Você já tem garagem?”
Isso no seu coração dói
E lhe falta essa coragem

De encarar a prova sim.
Porque teria que fazer
Uma garagem a fim
De pôr o carro com prazer.

Com muita precisão fez
Uma suntuosa garagem,
E criou ânimo outra vez,
Aumentou sua ansiedade.

Quando tudo estava bem
E a sua esperança inteira,
A voz perguntou também:
“Você já tem a carteira...

Para conduzir esse carro?”
O amigo indagou: “E agora?”
Triste acendeu um cigarro
E ao Senhor Deus implora:

“Senhor, por que me exige
Tanto assim para me dar
Um carro? Não sou livre?
Maior de idade para andar?

O Senhor não quer me dar
O carro para eu me manter?”
A voz disse: “Precisa estar
Pronto para o carro receber.

Pois sou um Pai responsável,
Jamais darei o mau exemplo.
Entenda a Blitz é inevitável,
Você carece de documentos.”


Mário Querino – Poeta de Deus  

quarta-feira, 30 de março de 2016

CANÇÃO DO MOSQUITO






Não, não, não acredito
Que seja esse mosquito
Que faz uma coisa desta.
Deixando toda a nação
Com essa preocupação,
Essa história não é certa.


Um bicho tão pequeno
E o povo dele correndo?
Se fosse como elefante,
O que seria desta gente
Que se encontra doente?
Morreria num só instante.


Não, não, não acredito
Que seja esse mosquito
Que faz uma coisa desta.
Se fosse um feroz leão,
O que seria dessa nação?
Essa história não é certa


Mário Querino – Poeta de Deus 

DEUS FEZ O UNIVERSO SEM FALTAR NADA

Poeta Mário Querino 30/03/2016


Hoje o mosquito me indagou:
“Poeta, quantos anos tem
 O mundo que Deus criou?”
Falei: A resposta vem de quem?


Todavia, segundo os cientistas,
Tem uns 4,6 bilhões de anos.
Porém, como sou analista
Neste cantinho baiano,


Pergunto, por que me indagas?
O mosquito respondeu:
“Deus fez o Universo sem faltar nada,
E desde o seu começo vivo eu,


Melhor dizendo, a espécie
Do mosquito da Dengue
Ou de outras novas pestes
Que no mundo se estendem,


E os cientistas nunca culparam
A minha inocente espécie,
E por que esses novos falam
Que somos a causa das pestes?


Agora, quer dizer que o homem
Apronta tudo e não quer
Sujar o seu importante nome?
Senhor Jesus de Nazaré!


Por que agora culpam tanto
Esta espécie de mosquito?
O homem quer ser santo,
Mas essa espécie matou Cristo.


E continua fazendo besteiras.
Daí então, condena o mosquito,
O que achas Poeta de Bananeiras,
Sobre tudo isso?”


Falei: Na verdade, mosquito, sou
Da espécie humana,
Contudo, nunca na vida vou,
Nesta terrinha baiana


Condenar vocês, amigos.
Porque eu já tenho visto
A lagoa e o rio poluídos,
E em volta montões de lixo.


Na minha concepção,
As pestes são surgidas
Por falta de Educação
E uma boa qualidade de vida.


O mosquito parou, refletiu
E prosseguiu com a sua fala:
“Será que na Capital do Brasil
A minha presença abala?


Pois estive analisando bem
Que a doença maior
Que atualmente o país tem
E deixa a nação na pior,


Obviamente é a corrupção
Que impede o desenvolvimento
De uma boa Educação,
Da Saúde e de bons alimentos.”


Mário Querino – Poeta de Deus 

NOITE DE CHUVA NO DISTRITO DE BANANEIRAS

Poeta Mário Querino 30/03/2016


Nesta noite caiu uma chuva
No Distrito de Bananeiras.
Foi muito boa, sem dúvida,
Claro, esfriou a região inteira.

Então obrigado meu Senhor
Por esta chuva tão boa.
Deus ouviu o nosso clamor,
Que não clamamos à-toa.


Mário Querino – Poeta de Deus  

terça-feira, 29 de março de 2016

SE O DINHEIRO FOR SUJO USE GEL

Poeta Mário Querino 29/03/2016


Um amigo de Brasília
Visitou um distrito,
Achou uma maravilha
Como nunca tinha visto.


Então entrara num bar
Para tomar uma cerveja.
Na hora de ele pagar,
Obviamente ali almeja


Gel de passar nas mãos
Ao pegar no dinheiro.
O caixeiro disse: “Tem não.
Pegamos o tempo inteiro,


Nunca houve nenhum mal.
O senhor pode pegar sim,
O nosso dinheiro é legal,
Pode ver, tintim por tintim.


Não temos dinheiro sujo,
O dinheiro que circula aqui,
Todos sabem de tudo,
Ninguém ousa adquirir


Sem trabalhar, meu amigo.
Eu já estou sabendo
Que em Brasília é adquirido
Dinheiro que está sendo


Circulado antes da limpeza.
Por isso de gel precisa,
Por ter muita impureza
E contagia amigos e amigas.”

Mário Querino – Poeta de Deus  


SEPULTAMENTO DE EDVAN (TINHO DA ELIANA)



Agora a pouco o cortejo
Saiu da casa de Edvan.
Muita gente seguiu sim,
Na sentimental manhã.




Da Rua Cesário Coelho
Foi ao Cemitério da Paz,
Todo mundo silencioso
E vendo o que Deus faz.





Claro, chegando à praça,
Do nosso bom Distrito,
O Poeta registra tudo
Com imagens e escritos.




E já passando defronte
À Igreja Católica, o povo
Lembra que há outra vida
E pode ter um viver novo.




Tomando à Rua São José,
Todo mundo já refletindo
Que Edvan deixou sim
Seu cantinho nordestino.





Chegando ao Cemitério
Para deixar o caixão
E cada qual seguir a vida,
Ainda com a dor no coração.




Porém, não podemos fazer
Mais nada por esse amigo
Que hoje já foi sepultado.
Agora vamos cuidar dos vivos.


Mário Querino – Poeta de Deus

Poeta Mário Querino 29/03/2016

AMOR SEM FICÇÃO

Poeta Mário Querino 29/03/2016


Meu amor por Maria
Vem do meu coração,
Eu agradeço todo dia
Por achar esta paixão.


Seu olhar me encanta,
Seu sorriso me alegra,
A sua ação de santa
Sempre amor entrega


Para o meu bom viver.
Minha vida sem Maria
Seria um grande sofrer,
Por isso a amo todo dia


Com lealdade e respeito.
Deus escolheu Maria
E preparou do seu jeito
Para me dar paz e alegria.


Deus viu que eu caçava bem
E carecia de uma mulher.
Por isso meu coração tem
Muito amor por Maria José.


Meu amor é tão imenso
Que agradeço ao Senhor,
E não fico um momento
Sem pensar neste amor.


Não me sinto um homem
Puro e importante,
Mas preservo meu nome
E o amor a cada instante.


Eu pedi uma companheira
Sábia e muito inteligente,
Não precisei sair de Bananeiras
Para achar esta pretendente.


Eu e Maria somos uma só carne
E vivemos lado a lado unidos.
Nosso pobre lar tem felicidade,
Respeito e destino definido.


Muitas vezes me precipitei
E me iludi com beleza externa,
Ao Senhor com fé eu clamei
Por uma companheira terna


E o Senhor me atendeu bem
Para eu viver com alegria.
Agora a minha vida tem
Um grande amor por Maria.


Mesmo a morte nos separando
O exemplo de amor seguirá
Neste cantinho baiano,
Onde Maria pôde me encontrar.


Mário Querino – Poeta de Deus