sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O CACHORRO É O NOSSO LEGÍTIMO IRMÃO

Alguém pegou uma questão comigo sobre irmandade. Pois lhe falei que o cachorro é o nosso irmão. Com isso alguém ficou bravo comigo e criou uma grande confusão por não saber que eu tenho razão e mostro todas as provas que o cachorro é realmente o nosso irmão.
Então percebi que alguém era bem estudado e poderia me entender de uma forma muito especial. Daí, eu fiz algumas perguntas para alguém que estava pensando que eu queria tirar uma de sua cara. Primeira pergunta: Quem faz o ser humano existir no planeta Terra? Alguém me respondeu: “O Senhor Deus.” Segunda pergunta: Quem faz o cachorro existir no planeta Terra? Alguém me respondeu: “O Senhor Deus.” Terceira pergunta: O ser humano é uma obra artificial? Alguém me respondeu: “Claro, que não. É uma obra natural.” Quarta pergunta: O cachorro é uma obra artificial? Alguém me respondeu: “Claro que não. É uma obra natural.” Quinta pergunta: O Senhor Deus é Pai? Alguém respondeu: “Claro que sim.” Então eu cheguei à conclusão que o cachorro é o nosso irmão. Se somos criaturas de Deus e o cachorro também é criatura de Deus, somos filhos do mesmo Pai. Se somos obras da Natureza e o cachorro também é obra da Natureza, somos filhos da mesma Mãe. Nesse caso somos irmãos legítimos. Se alguém achar que não é irmão do cachorro, não é criatura de Deus, nem é uma obra Natural. Alguém meneou a cabeça e comentou: “Você tem muita razão, o cachorro é o nosso legítimo irmão. Se alguém achar ruim ser irmão do cachorro, não faz parte da criação Divina nem é filho da mãe Natureza.”


Mário Antônio Querino da silva – Escritor de Cristo 

Mário Antônio e Maria José 
    

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

AGORA MORRO DE PAIXÃO

Alguém me perguntou: “Você ainda faz música?” Respondi: Nunca mais fiz, por quê? Alguém falou: “Porque eu queria que você fizesse uma música para mim, bem apaixonada.” Então eu disse: Eu posso fazer uma letra de música apaixonada para você, agora, a melodia você põe. Certo? Alguém concordou e eu comecei bem assim:

AGORA MORRO DE PAIXÃO

Eu vou sair desta casa
Por que eu preciso ir,
A mulher que eu amava,
Agora mandou eu sair.

Com a dor no coração
Arrumo a minha mala,
Vou sair sem direção
E nada ela me fala.

Às vezes olho pra ela,
Ela vira a cara de lado
Sairei pensando nela,
Com dor e apaixonado.

Peguei a minha mala
E ela virou as costas,
Comigo ela nem fala
E ajuda abrir a porta.

Às vezes olho pra ela,
Ela finge não me ver,
Fecha a porta e a janela
Sem nada me dizer.

Sigo a minha estrada
Só com a mala na mão,
Ela me expulsou de casa,
Agora morro de paixão.  


Mário Antônio Querino da silva – Escritor de Cristo 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

LEMBRANÇAS DE MINHA MÃE GILDETE QUERINO

Hoje eu estava deitado no bi cama assistindo o Programa Aparecida Sertaneja do Padre Alessandro e me bateu uma saudade profunda de minha mãe, como nunca tinha sentido tanta falta dela, nem quando eu passei um ano sofrendo pelo mundo afora, sem emprego, sem dinheiro e vivendo de favor em casa de parentes e amigos.
Nunca pensei que eu iria chorar pela falta de minha mãe como choro agora, nem quando ela faleceu eu chorei com tanta saudade dela. Não sei o que passa por minha vida interna para eu sentir tanta falta de minha mãe como estou sentindo. Pois externamente tudo está ocorrendo bem comigo e minha família, mas me veio este sentimento do íntimo, do fundo do meu coração e me ponho a chorar. Busquei a minha vida do tempo que eu era uma criança com mais ou menos sete anos de idade, quando eu chegava da Escola e comia feijão com carne dentro e arroz e logo após ela me ensinava as contas de dividir que a Professora Eunice Cardoso passava para eu fazer em casa.
Não pensei em ter tanta saudade de minha mãe como estou sentindo agora, nem quando ela estava na aflição da morte que mandou a minha irmã Sônia me chamar em casa para se despedir de mim, e eu com muita fé e convicção no Senhor Deus falei para a minha mãe Gildete Querino: “Vá em paz com Deus minha mãe, não se preocupe comigo!” Depois de mais umas horas a minha mãe faleceu e eu fiquei muito tranquilo por não ter dado preocupação a ela durante a minha existência ao seu lado.
Mas hoje me bate esta saudade que vem do íntimo, do fundo do meu coração. Nunca chorei por minha mãe como estou chorando agora. Não é um choro de dor nem de desespero, é um choro de saudade, e se eu choro de saudade é porque eu sempre a amei.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo  

PARA LER E REFLETIR


O Ex-Presidente Lula e a Presidenta Dilma são tão ruins, como muitos dizem, que eu fiz um estudo baseado na minha burrice e descobri que o Ex-Presidente Lula e a atual Presidenta Dilma conseguiram se eleger 2 mandatos, mesmo com tantas pessoas de má fé infiltradas no seu poder, e se eles fossem bons de que adiantaria os que se julgam santos se envolverem em candidaturas para tomarem à força o poder deles? Isso dá a entender que os outros são piores do que eles, assim penso com toda a minha burrice.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo   

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

HÁ PESSOAS QUE GOSTAM DE COMENTAR SOBRE ALGO ALHEIO

Vejo que há pessoas que gostam de comentar sobre algo de interesse alheio. Então um senhor contratou um Pedreiro para construir a sua mansão, claro, escolheu um profissional bem conceituado na cidade. Pois queria ver a sua mansão bem feita e muito bonita para chamar a atenção de todos que passassem na sua rua e contemplassem com admiração.
Mas o Pedreiro trabalhava com muito cuidado, paciência e claro, bem devagar, para tudo sair bom e perfeito, melhor dizendo, do jeito que o patrão gostaria de vê-la. Contudo o senhor já estava impaciente com a demora do Pedreiro, a ponto de fazer alguns comentários sobre a sua vagareza que era realmente, quase parando para não deixar nada a desejar.
Como eu sou um Pedreiro que faço tudo por curiosidade e não por prática e habilidade, trabalho nas casas de parentes e amigos humildes, com muita satisfação, sem horário de largar o labor e muitas vezes até voluntário, principalmente nos dias de sábado e domingo, pois nesses dias eu estou desocupado e procuro ocupar a minha mente fazendo uma obra de caridade para as pessoas de baixa renda terem também o prazer de morar numa casa digna com os mesmos direitos que eu tenho. Assim como eu quero viver bem numa casa ajeitada, almejo aos parapentes e amigos também. Por isso aproveito o dia do Senhor para ajudar o povo de Deus, e Deus tem me abençoado me dando dons, inteligência, sabedoria, saúde, força, virtude e a boa vontade de trabalhar em prol de parentes e amigos que moram neste cantinho sertanejo intitulado Distrito de Bananeiras.
Então o senhor se aproximou de mim e comentou: “Amigo, você precisa trabalhar menos, você não para nem nos dias de sábado e domingo?” Daí tirei uma conclusão que comentar sobre os outros é fácil e bom até demais. Mas quando o dinheiro está saindo do próprio bolso, seu Pedreiro lhe deixa incomodado com a sua vagareza.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo      

domingo, 25 de janeiro de 2015

ONDE ESTÁ O PECADO NO OUVIR E NO PASSAR A MENSAGEM? NOS HINOS EVANGÉLICOS OU NAS MÚSICAS OBSCENAS?

Analisei todo o movimento, músicas e hinos de louvores ao Senhor Deus. Então tirei uma conclusão que as pessoas defendem a sua religião e não os preceitos do Senhor Deus. Aliás, nem todas as pessoas, pois ainda há muita gente que é voltada para as coisas de Deus, vivendo uma vida com bons testemunhos.
Onde quero chegar com este assunto sobre movimento, músicas e hinos de louvores ao Senhor Deus? Claro, só quero mostrar que a religião é apenas um meio de manter um povo unido e voltado aos preceitos divinos. Todavia, quando a religião já está bem estendida na cidade, estado ou no país, as coisas começam a mudar de costume.
Vejo que uma pessoa católica não se sente bem ouvindo um hino de louvor a Deus, cantado por um irmão evangélico, mas encosta um carro com um som de potência na porta de um bar e ainda abre o fundo do carro para todo mundo ouvir baixaria ou melhor, música feita com malícia para chamar a atenção de pessoas que dizem ser cristãs.
Esta é a minha pergunta: Onde está a maldade no ouvir e a má intenção no passar a mensagem cantada? Nos hinos evangélicos ou nas músicas que trazem ao ouvido das pessoas uma malícia que deixa as crianças, adolescentes, jovens e anciãos de família voltada para os preceitos do Senhor Deus envergonhados com tantas palavras obscenas?
Então, pelo que eu vejo, muita gente defende a sua religião e não a fé no Senhor Jesus Cristo, que seria o mais interessante na vida do povo de Deus, que muitos tomam a frente de um trabalho na Igreja, mas seus testemunhos levam os que estão fora ficarem mais distante da Igreja. Pois dizem: “Qual o pecado que eu cometo que os religiosos não comentem? Vejo que tem gente sem religião e está se procedendo bem melhor.” Cito uma passagem bíblica quando os discípulos de Jesus comentaram: “Senhor, ali tem um homem que faz milagres em teu nome e nós lhe proibimos, pois ele não é do nosso meio.” Jesus falou: “Vocês não o proíbam, pois quem não é conosco é contra nós, e quem não ajunta espalha.”


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

TUDO PASSA COMO FLECHA DISPARADA PARA O ALVO

"Tudo passa como flecha disparada para o alvo: o ar cortado volta imediatamente sobre si mesmo, e já não se sabe mais a trajetória dela. o mesmo acontece conosco: mal nascemos e já desaparecemos, sem mostrar nenhum sinal de virtude, porque nós nos consumimos em nossa maldade!"

Mário Antônio Querino da Silva - Escritor de Cristo 

sábado, 24 de janeiro de 2015

PARABÉNS PARA MAURÍCIO FARIAS E CÁSSIA SANTANA



 










Hoje houve o casamento do meu sobrinho Maurício Farias com minha vizinha Cássia Santana. Foi um Matrimônio realizado na Igreja de Santa Efigênia do Distrito de Bananeiras, onde muita gente participou da Celebração de Maurício Farias e Cássia Santana.
Meu filho Acaz Ido Galvão foi o Padrinho e meu neto Brad Galvão foi o Noivinho, o Matrimônio presidido pelo Padre da Cidade de Pindobaçu, o qual também faz parte da Igreja de Santa Efigênia do Distrito de Bananeiras.
Mas o banquete está sendo realizado na Quadra Esportiva do Colégio Municipal Telésforo Silveira de Menezes. De fato, o ambiente está superlotado de gente para congratular o casamento de Maurício Farias com Cássia Santana. Mauricio é filho de José Euclides (Quide) e de Leonice Farias e Cássia Santana é filha de José dos Santos (Zezé) e de Rosilda Santana.
Deus abençoou este Matrimônio por intermédio do Padre de uma forma tão especial que já está iniciando uma trovoada com vento, relâmpago e trovão.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

NINGUÉM É VELHO, CADA QUAL VIVI O SEU TEMPO

Uma senhora com 80 anos de idade, encontrou-se comigo e me viu careca e barbudo, pois já fazia muitos anos que ela tinha me visto. Sua alegria foi muito grande quando me viu vivo e são, a ponto de comentar bem assim: “Como você está velho!” claro, eu não podia responder com mal criação, pois eu fui criado respeitando os mais velhos, a ponto de tomar a bênção, mesmo não sendo tios ou padrinhos meus. Como sempre tenho uma palavra agradável para responder algumas questões que às vezes não dependem de mim e é obra da natureza estabelecida pelo Senhor Deus, com um sorriso de contentamento falei: Eu quero ficar mais velho ainda, eu chegando a idade da senhora, já cheguei ao limite da minha existência. Qualquer segundo de vida a partir dessa idade, para mim já é um bom lucro. Na verdade, estou velho para o meu neto, mas estou uma criança recém-nascida para aquela serra.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

NEM TUDO QUE NOSSO CHEFE RELIGIOSO OU POLÍTICO ALMEJA DEVEMOS PÔR EM PRÁTICA

O ser humano parece que é para viver como robô, somente fazer o que seus líderes acham que é certo. Não deixam que cada qual tome a sua decisão e faça o que lhe fará feliz. Se meus filhos querem gerar mais de 3 filhos, e isso é uma dádiva do Senhor Deus, o que eu quero me intrometendo no planejamento familiar deles? A decisão é deles e não minha. Só por que sou pai deles me intrometerei no seu planejamento familiar? Meus filhos devem seguir o que acharem melhor e o que lhes fará felizes.
Agora, por que um chefe religioso quer que os casais não procriem mais de 3 filhos, eles vão viver só no desejo de terem filhos à vontade? A procriação é dom de Deus, e quem a proíbe está contra seus preceitos. Pois o Senhor Deus falou: “Cante de alegria, estéril que não dava à luz; exulte com alegre canto, você que não tinha dores de parto, porque a mulher abandonada terá mais filhos que a casada, diz Javé. Aumente o espaço de sua tenda, ligeira estende a lona, estique as cordas, finque as estacas, porque você vai se estender para a direita e para a esquerda, seus filhos herdarão nações e povoarão cidades desabitadas. Não tenha medo, pois você não ficará envergonhada. Não se envergonhe, pois você não sofrerá humilhação; você esquecerá a vergonha que passou na juventude, e nunca mais se lembrará da vergonha do seu tempo de viúva. Porque o seu marido é o seu criador: o nome dele é Javé dos exércitos.”      
Penso que os nossos chefes mudam de ideias até contra Deus e querem que o povo lhes acompanhe como que eles fossem os nossos donos. Penso que cada casal tem o seu plano familiar e isso só cabe a Deus e ao casal a quantidade de filhos que querem. Por que filhos é uma bênção de Deus.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo  

sábado, 17 de janeiro de 2015

TUDO PASSA, TUDO MUDA NUMA BOA

Levei uma boa parte da minha vida pensando que nunca iria me faltar a vontade de escrever poesia. Até fiquei com raiva de meu pai, quando eu queria comprar uma máquina de escrever e ele achava que não tinha retorno nenhum, pois tudo que eu escrevia era voluntário e uma máquina nessa época era muito cara para suas condições financeiras e falta de valorização cultural. Contudo, depois de muito eu insistir, meu pai comprou uma máquina de escrever para mim e eu aprendi a datilografar a ponto de receber um certificado de uma boa Escola.
Daí, eu escrevia dia e noite quando estava em casa, às vezes até madrugava, meus pais achando ruim eu ficar datilografando até 1 hora da madrugada, com o desejo de passar as palavras poéticas para o papel, que era muito importante para mim e para os amigos que gostam de poesias.
Então me casei e minha esposa achava que eu era besta, pois escrevia muito quando estava em casa sem outra ocupação, os vizinhos comentavam que eu passava a noite escrevendo e não sabiam qual seria o meu objetivo, pois fazia tudo isso voluntário. Depois meus filhos chegaram até a comentar no Colégio, que eu deixava de comprar pão para comprar papel sulfite para passar o tempo inteiro escrevendo sem ganhar nada, apenas por prazer de organizar as palavras poéticas.
Tudo bem, o tempo passou e eu ganhei um computador bem antigo do Prof. José Carlos sem impressora, mas muito agradável para um Poeta de Deus que se conforma com tudo que lhe serve no momento. Quando eu já estava entendendo os programas do computador, tirei um empréstimo no Banco do Brasil para comprar um computador completo, o qual deixou os vizinhos dormirem em paz sem o barulhos das teclas da máquina de escrever.
Todo este investimento para escrever poesia voluntariamente, sem pensar que depois de 34 anos de amizade com as palavras poéticas, eu perderia a vontade de continuar com essa arte tão encantadora.
Agora, com tanta facilidade e bons recursos pensei em ser Escritor de Cristo, contudo, vejo que as minhas palavras não correspondem com a ideologia do mundo moderno, pois me acho muito careta, cafona e às vezes quero ser realista demais num mundo onde reina um jeitinho para tudo e todos. Por esse e outros motivos penso em deixar de escrever e procurar outra arte que não me envolva com comentários alheios, pois muitas vezes me dá vontade de mostrar a realidade de forma transparente, de uma forma ou outra, sou obrigado engolir calado. Então acho melhor fazer outras atividades.


Mário Antônio Querino da Silva - Escritor de Cristo   

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

QUEM MANTÉM SOMENTE POR AMIZADE SOFRE O CASTIGO

Num pequeno município do interior, existe um povoado bem antigo, mas nunca teve a graça de receber benefícios municipais como deveria receber, por eleger vereadores em primeiro e segundo lugar na Câmara Municipal, digo, os mais aceitos pelo povo do município. No entanto o povoado é o mais atrasado de toda a história política do país. Pela a concepção de todos os moradores, deveria ser o povoado mais organizado e bonito do Município, do Estado ou do país.
De fato, o povoado tem mantido vereadores e Prefeito que têm oportunidade de organizar e embelezar o povoado de uma forma muito especial. Pois em nenhum município do mundo já existiu nem existirá outro povoado que manteve 2 vereadores em primeiro e segundo lugar na Câmara Municipal num período de 20 anos, e sempre mantém líderes políticos de boa aceitação. Contudo o povoado é o mais desconsiderado do município. Isso deixa uma pergunta: “Os moradores do povoado não merecem respeito?”


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo  

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

SE VOCÊ FOR ABANDONADO POR QUEM AMA, CONTINUE AMANDO

Num pequeno povoado havia um jovem simpático e bem elegante, a ponto de as meninas ficarem cobiçando. Mas acontece que, um belo dia apareceu uma jovem de uma cidade longínqua e ficou interessada por ele. É claro, o seu olhar deu para o jovem perceber que a jovem estava lhe paquerando de maneira muito especial.
O jovem sem nenhum conhecimento da cultura das pessoas que vivem numa grande cidade, ficou densamente apaixonado pela jovem metropolitana que visitou o seu pequeno povoado e lhe iludiu com seus beijos, abraços e seu jeitinho meigo de se expressar.
Daí a jovem foi se embora e o jovem ficou lhe escrevendo cartas de amor sem cessar, até que um dia a jovem pensou na vida que poderia levar ao lado do jovem pobre e de cultura completamente diferente. Então escreveu uma carta, a qual lhe dizia: “Foi muito bom o nosso encontro, mas agora não dá mais para a gente continuar se correspondendo, por que o amor distante não faz nenhum sentido na vida. Por isso acho melhor a gente viver sem compromisso, somente como dois amigos. Um abraço, nada mais da jovem que muito lhe admira.”
Sem dúvida, o jovem ficou completamente louco, sem saber o que fazer para manter sua relação amorosa com a jovem que lhe prendeu com seus beijos, abraços e jeitinho meigo de se expressar nas noites de sábado e domingo, quando os dois ficavam sentados num banquinho defronte à casa de um conterrâneo. Mas como tudo passa, menos as graças de Deus, o jovem deu uma voltinha por cima e estabeleceu um lindo lar ao lado de um novo amor.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

O TEMPO PASSA E AS LEMBRANÇAS FICAM NA MEMÓRIA

Quando eu era adolescente, meu avô Ramalho Querino (Seu Oiô), possuía um sítio grande e muito bom, nele se encontrava bananeiras, cana e uma boa pastagem. Também no sítio havia um bom engenho, o qual meu pai Antônio Pereira tomava de conta e moía cana a sema inteira para fazer rapadura que era vendida na cidade de Senhor do Bonfim.
Como meu pai morava no Distrito de Bananeiras, na Praça da Igreja, todo dia quando eu saía da Escola e almoçava, eu ia para o engenho carregar lenha para queimar na fornalha. Então eu subia a ladeira do Cemitério da Paz debaixo de sol quente ou chuva para no horário certo eu chegar no engenho.
Era um trabalho pesado, carregava a lenha suja de carvão, às vezes ia buscar água no riacho, buscava cana na roça com 2 ou 3 jegues, carregava também olho da cana e jogava no palheiro para os bois que puxavam o carro e trabalhavam o dia inteiro no engenho. De fato, era um trabalho árduo, contudo, era muito divertido. Ainda me lembro do meu avô Oiô Querino, que era um senhor muito considerado no Distrito de Bananeiras, a ponto de ser o Delegado. Seu Oiô não passava mão pela cabeça nem de seus próprios filhos, ele gostava de fazer justiça. Por isso ele era muito respeitado e todo mundo gostava dele.
Quando Seu Oiô chegava no sítio e se aproximava dos trabalhadores, todos tinham que parar o trabalho e ficar lhe ouvindo. Muitos trabalhadores já gostavam quando Seu Oiô chegava, para ficar parado sem fazer nada, somente ouvindo a conversa do patrão que era muito bom quando estava de bom humor. Mas quando Seu Oiô chegava perto dos trabalhadores e não dava nenhum bom-dia, todos ficavam pensando: “Hoje Seu Oiô não está a fim de conversa.” Então todos continuavam trabalhando sem conversar.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo   

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

JOVEM SOFRE HUMILHAÇÃO PARA MANTER A SUA DIGNIDADE

Um jovem deixou o Distrito de Bananeiras e foi parar no Estado de São Paulo, a fim de encontrar um emprego para sobreviver bem melhor. Pois achava que o trabalho de roça não estava lhe deixando satisfeito. Então resolveu deixar o Distrito de Bananeiras, e procurar uma vida melhor no Estado de São Paulo, engano, sofreu muito, foi humilhado a ponto de querer voltar ao seu lugarejo, mesmo sem lhe dar a vida que almejava.
Um certo dia, o jovem saiu à procura de um emprego, sem conhecimento de nada das cidades do Estado de São Paulo. Como o jovem não tinha dinheiro suficiente para andar de ônibus de uma cidade para outra, seguiu do Distrito de São Miguel Paulista em direção a Mogi das Cruzes, claro, andou bastante estrada afora, sem perceber a distância. Já desanimado de tanto pegar filas nas portas de fábricas, resolveu pegar um ônibus até Jundiapeba, Distrito de Mogi das Cruzes. Ao chegar na Fábrica de Papelão e não encontrando nada, nem promessa, ficou na beira da pista esperando um ônibus para regressar ao Distrito de São Miguel Paulista. Tudo bem, o ônibus apareceu e o jovem entrou numa boa, mas acontece que, o seu dinheiro não dava para pagar a passagem, por que na sua contabilidade a passagem custava X, em comparação com a ida.
Mas o jovem não lembrou que ele tinha andado até a cidade de Suzano a pé, motivo de pagar uma passagem mais barata do que a passagem de regresso. Então, quando o jovem foi passar na borboleta onde fica o cobrador, deu o dinheiro contado, quando o cobrador conferiu, falou para o jovem: “Não é só este, é tanto.”  O jovem que tinha comido um pão com refrigerante e deixado somente o valor de ida, indagou: “Eu não tenho mais, deixa eu passar a borboleta por esse dinheiro?” O Cobrador respondeu: “Não, não posso fazer isso!” O jovem vendo que o ônibus já estava perto do Distrito de São Miguel Paulista, perguntou novamente: “Você deixa eu sair pelo fundo?” O Cobrador respondeu abusado: “De jeito nenhum!” O Jovem começou a ficar nervoso e com medo do ônibus passar pelo Distrito de São Miguel Paulista e lhe deixar no cetro da Capital, lhe trazendo mais problema.
Como em todo lugar tem pessoas do bem e generosas, um senhor puxou uma nota de 500 cruzeiros e deu ao cobrador para tirar a passagem. Daí o cobrador ficou nervoso com o senhor e falou que iria deixar o jovem passar pela borboleta do ônibus numa boa. Contudo, o senhor insistia a ponto do cobrador criar uma confusão dentro do ônibus por causa do Jovem que não teve dinheiro suficiente para pagar a sua passagem. Quando o ônibus chegou no Distrito de São Miguel Paulista, o jovem desceu chorando, e todos ficaram observando e pensando: “Ele chora de alegria por ter encontrado um senhor generoso para pagar a sua passagem e ainda brigar por ele? Ou está chorando por se sentir tão humilhado perante tanta gente desconhecida?” Só Deus e o jovem Sabem!


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

ROBSON SANTANA RECEBE UM CAMINHÃO DE MÓVEIS DA LOJA 2K MÓVEIS DA CIDADE DE ANTÔNIO GONÇALVES






Hoje a tardezinha a loja 2K Móveis veio entregar um caminhão de móveis ao Sr. Robson Santana que foi contemplado no grande Sorteio da loja 2K Móveis da cidade de Antônio Gonçalves.
Então com uma Caravana e muitos fogos a loja 2K Móveis veio da cidade de Antônio Gonçalves realizar o sonho do Sr. Robson Santana que fez uma compra e foi sorteado, ganhando um caminhão de móveis.
Obviamente a Caravana deu uma voltinha pelas ruas do Distrito de Bananeiras para exibir o caminhão de móveis que o Sr. Robson Santana ganhou no Sorteio. Claro, todo mundo ficou observando a Caravana passar pelas ruas do Distrito de Bananeiras, anunciando e soltando morteiros por onde passava.     

Chegando na Rua Bela Vista deu uma parada para todo mundo contemplar a Caravana e festejar juntamente com o Sr. Robson Santana, a Boa Sorte de ganhar este caminhão de móveis da loja 2K Móveis da cidade de Antônio Gonçalves.
Sem nenhuma dúvida, o Sr. Robson Santana recebeu os móveis com júbilo e muita satisfação, a ponto de apresentar o cupom do grande Sorteio da loja 2K Móveis. Após a Caravana dá uma voltinha pelas ruas do Distrito de Bananeiras, chegou à casa do Sr. Robson Santana e entregou com muita festa os móveis que ele ganhou no Sorteio com alegria e Boa Sorte.



Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

Mário A> Querino da Silv

NEM TUDO QUE MALDAMOS É VERDADE

Havia um casal na praça do Distrito de Bananeiras contemplando o jardim da praça, que é um jardim simples, mas para quem gosta de plantas é muito especial. Então o casal se admirava da Igreja de Santa Efigênia, do pequeno Quiosque do Dudu e de todo o movimento naquela linda tarde de domingo.
De repente preparou uma trovoada ao Leste do Distrito de Bananeiras. Daí o Céu começou a ficar bem escuro, o relâmpago cortava as nuvens escuras e o trovão respondia com muita intensidade, o povo começou a se proteger do vento que soprava com muita força em forma de redemoinhos. Então aquela donzela que namorava o rapaz começou a gritar: “Tira a minha roupa, tira a minha roupa, tira a minha roupa!” Todo mundo ficou observando aquela donzela gritando em voz alta em plena praça.
Então se aproximaram do casal algumas pessoas que perguntaram assim: “Você está louca? Você quer ficar pelada em plena praça do Distrito de Bananeiras?” A donzela respondeu: “Eu não estou louca, nem quero ficar pelada na praça do Distrito de Bananeiras. Estou pedindo para tirar a minha roupa do varal, que estendi para secar e agora estar vindo uma forte chuva.” As pessoas ficaram sem graça, pois usaram uma maldade contra a donzela que namorava na Praça da Igreja de Santa Efigênia do Distrito de Bananeiras.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

Mário Antônio Querino da Silva 
  

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

A ESPERTEZA ESTRAGA O MELHOR DA VIDA

Um rapaz arranjou uma namorada bonita, educada, generosa e bem gentil. Mas seu pai era um senhor muito rigoroso para com a linda donzela que demonstrava gostar do rapaz que também era um rapaz elegante e muito criativo.
Então o pai da donzela determinou um horário para o rapaz ficar namorando a sua filha que era criada com muito mimo. De fato, era uma donzela idônea que tinha grande esperança de construir um lar maravilhoso ao lado do rapaz que comprovava gostar muito dela.
Mas acontece, que numa bela noite de sábado o rapaz estava na casa dela numa boa, porém o horário determinado pelo pai da donzela já estava chegando ao limite e por sorte do rapaz, caiu uma trovoada demorada, daí o rapaz ficou preocupado com o horário determinado pelo sogro que era um senhor muito rigoroso.
Então o pai da donzela percebendo que o rapaz estava preocupado com o horário que foi determinado por ele, chegou perto do futuro genro e falou: “Como a chuva está caindo forte e não dá para você ir embora no horário que eu lhe determinei, hoje, você vai dormir aqui em casa e quando o dia amanhecer você vai se embora. Certo?
O rapaz ficou com muita alegria quando ouviu do sogro essas palavras agradáveis, então respondeu assim: “Certo. Agora me deem licença que eu vou buscar o meu pijama.” O sogro olhou para o rapaz e falou assim: “Se você pode buscar o seu pijama assim debaixo desta forte chuva, não seria melhor você ficar em sua casa?” depois meneou a cabeça e falou: “Você é muito esperto!”


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo    

MISTÉRIO DE CAÇADOR

Um jovem inventou caçar veado numa mata perto do Distrito de Bananeiras, com um grupo de caçadores já experiente. Como o jovem não tinha o costume de caçar dentro de uma mata, ficou completamente assombrado quando ouviu tanto ruído das árvores, o gorjear dos pássaros, o sibilar das cobras, o coaxar dos sapos na lagoa, o guinchar dos macacos, o rosnar dos gatos-do-mato, o zumbir dos insetos, o cantar dos grilos, o latir dos cães que foram com o grupo de caçadores, o tagarelar dos periquitos e outros sons que na mata perto do Distrito de Bananeiras tem.
Mas como era obrigado o grupo se espalhar por dentro da mata, cada qual procurou ficar no ponto de espera, para quando o veado passasse ser surpreendido por um deles. Então o jovem olhava para um lado, olhava para o outro lado, olhava para trás, olhava para frente, olhava para cima e olhava para o chão, a ponto do medo tomar conta de sua vida. Daí o jovem já muito assombrado, procurou uma árvore que lhe desse uma condição de subir e ficar em cima até o horário dos outros caçadores voltarem ao ponto de encontro.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

domingo, 11 de janeiro de 2015

MULHER VIRTUOSA DEUS SEMPRE ABENÇOA

Maria José é uma senhora que tem lutado desde criança para manter uma vida digna no Distrito de Bananeiras, terra do Escritor de Cristo, Mário Antônio Querino da Silva.
Maria José nascera num lar pobre e sempre vem mantendo seu respeito para com todos os bananeirenses que admiram a educação e a simplicidade dessa senhora que faz de tudo para viver em paz com todos. Maria José é uma senhora que sempre faz as suas orações em prol de sua família, amigos e até mesmo das pessoas que vivem sem sentido. Pois Maria José acha que são essas pessoas que mais precisam de suas orações, para Deus resgatá-las e trazê-las de volta à sociedade, que muitas vezes excluem achando que não há mais jeito.
Contudo, Maria José acha que para Deus nada é impossível, Deus já fez ossos secos criarem carne e voltarem a viver, já feriu a rocha e todo mundo viu água jorrar, já fez mulher estéril dar luz ao um filho, já fechou boca de leão para não devorar seu servo, já salvou servos da fornalha aquecida 7 vezes mais do que o normal e muitas maravilhas Deus já fez em prol do povo, para mostrar que para Deus nada é impossível.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo

Mário Antônio Querino da Silva 

O LOBISOMEM



   

No Distrito de Bananeiras ouvimos muitos comentários sobre lobisomem, lenda que sempre é lembrada no tempo da Quaresma. Então havia um senhor de apelido Zezão que gostava de caçar tatu e só chegava em sua casa meia-noite, não tinha medo de nada, sempre carregava um facão e uma espingarda de socar, com ele também iam seus dois cachorros de estimação.
Mas um dia lhe aconteceu uma novidade, quando entrou na Rua Nova do Distrito de Bananeiras, mais ou menos uma hora da madrugada, quando o senhor vinha chegando do mato, quer dizer, da caçada de tatu. Então se deparou com um lobisomem que lhe deixou amedrontado e os cachorros saíram correndo rua afora, também com muito medo do bicho.
Como não tinha outra solução para o senhor se livrar do bicho, arrastou o facão da cintura e começou a lutar com ele. Mas o bicho não lhe dava nenhuma trégua, sempre avançando e o senhor se afastando de costas já cansado e com muito medo. Finalmente, ao subir a ladeira perto de sua casa, tomou um fôlego e aumentou os passos, mesmo de costas, até chegar à sua casa que no momento se encontrava fechada. Daí o senhor deu um empurrão na janela, a ponto da janela se abrir e o senhor entrar batendo a janela na cara do bicho. Os cachorros só foram aparecer quando o dia amanheceu. Segundo os mais velhos, lobisomem é gerado da pessoa que bate nos pais e os pais lhe amaldiçoam.

Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

TEM HOMEM QUE ENCARA UM LEÃO, MAS TEM MEDO DE ALMA INVISÍVEL

No Distrito de Bananeiras sempre teve homem corajoso, homem que fazia desafio e provava que era realmente de coragem. Então havia um homem no Distrito de Bananeiras, o qual usava um paletó preto, que chovesse ou que fizesse sol quente, era uma cultura dele.
Como no Distrito de Bananeiras sempre teve pessoas brincalhonas e gostam de bater resenhas, um certo dia de noite escura o homem estava batendo um papo gostoso com seus amigos e conterrâneos defronte à Igreja de Santa Efigênia. Daí começaram falar sobre homem corajoso onde citaram o nome de seu Joaquim, que era um homem muito corajoso e não tinha medo de nada, sempre ele andava pelas ruas no escuro, pois nessa época não existia iluminação pública no Distrito de Bananeiras.
Seus amigos que gostavam de bater uma resenha, perguntaram se ele tinha a coragem de ir ao cemitério que fica distante da Igreja de Santa Efigênia uns 300 metros. Sem dúvida, Seu Joaquim falou que tinha e lá não fazia medo nenhum. Então seus amigos fizeram uma vaquinha para arrecadar uma boa grana para dar ao Seu Joaquim, caso, ele fosse ao cemitério naquele horário, umas 11 horas da noite.
Então combinaram e fizeram o pacto, mas para terem a certeza se Seu Joaquim foi mesmo sozinho ao cemitério às 11 horas da noite, lhe entregaram um martelo e um arrancador de grampo para Seu Joaquim enfincar pertinho do portão do Cemitério da Paz do Distrito de Bananeiras.
Tudo bem, Seu Joaquim dentro de um paletó preto subiu em direção ao cemitério com coragem e desejo de ganhar a grana que seus amigos juntaram entre eles para lhe dar, caso, ele fosse ao cemitério às 11 horas da noite, noite escura.
Quando Seu Joaquim chegou ao Cemitério da Paz do Distrito de Bananeiras, se agachou e enfincou o arrancador de grampo no chão bem defronte ao portão do cemitério, mas acontece que, o arrancador de grampo também prendeu a ponta do paletó preto de Seu Joaquim, impedindo ele se levantar. Daí Seu Joaquim começou a gritar: “Socorro, socorro, socorro... uma alma está me segurando! Socorro, socorro, socorro... me ajudem, por favor me ajudem, uma alma está me segundo!”
Então seus amigos saíram correndo em direção ao Cemitério da Paz do Distrito de Bananeiras. Quando lá chegaram, Seu Joaquim estava com a ponta do paletó presa no chão com o arrancador de grampo. Os amigos quase morreram de rir, mesmo assim deram a grana ao Seu Joaquim homem corajoso, mas teve medo das almas que na sua imaginação lhe seguravam.

Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo


sábado, 10 de janeiro de 2015

QUEM TEM CORAGEM ENCARA OS OBSTÁCULOS

Na Fazenda Olho D’água morava um rapaz muito corajoso, sempre ele vinha para o Distrito de Bananeiras e ficava na rua até meia-noite. Então arranjou uma namorada bananeirense que muito demonstrava gostar dele. Pois ele era um rapaz muito elegante e de procedimento agradável, a ponto de conquistar uma profunda amizade com todos os bananeirenses que davam-lhe a maior confiança.
Como entre muitos amigos, não deixa de existir brincadeiras engraçadas, um grupo deles tramou uma brincadeira para fazer grande medo ao rapaz que sempre vinha da Fazenda Olho D’água para namorar as meninas do Distrito de Bananeiras. Então aproveitando o ensejo, os amigos percebendo que o rapaz estava na casa da namorada numa boa, pegaram uma rede e foram estender no caminho com um tronco de bananeira deitado dentro dela, e ficaram escondidos para verem o resultado e a coragem do rapaz.
Ao chegar às 23 horas, o rapaz foi se embora, a noite estava enluarada, o céu bem estrelado e uma brisa soprava suavemente, a ponto dos vegetais dançarem pra lá e para cá e o rapaz sem nenhum medo seguia a sua estrada afora com a esperança de chegar em sua casa. De fato, ele só carregava uma peixeira na cintura para se defender de alguns animais que pernoitava no mato. Mas de repente se depara com uma rede e algo dentro, logo após a curva da estrada da Fazenda Olho D’água.
Como o rapaz tinha fama de corajoso, não perdeu o seu tempo, arrastou a peixeira da cintura e perfurou a rede completamente, ficou igual a uma tábua-de-pirulito. Então seus amigos que tramaram tudo isso, ficaram morrendo de rir ao ver a loucura do rapaz enfiando a peixeira na rede com um tronco de bananeira deitado dentro.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo      

TOMARA QUE ESSES 18 BILHÕES SEJAM INVESTIDOS EM ALGO QUE BENEFICIE A NAÇÃO

Agora está como muitos mais queriam, pois comentavam que o Governo dava esmola as pessoas em troca de votos. Muita gente se empregava e quando completava 6 meses, pedia as contas para ganhar o seguro sem fazer nada, muita gente recebia uma pensão quando o cônjuge morria, claro, para a sustentação dos filhos, mas arranjava outro e os filhos ficavam à custa dos avós ou parentes e assim por diante. Agora que esses 18 bilhões de reais sejam usados em obras públicas e não nas contas de poucos privilegiados. Só assim muitos viverão sem reclamar do Governo Federal.



Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo  

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

PEÇA, E LHE SERÁ DADO, PROCURE, E ENCONTRARÁ, BATA, E ABRIRÃO A PORTA PARA VOCÊ

Graças ao Senhor Deus que meu filho Acaz Ido Galvão já apresentou a Monografia na Faculdade de Bacharelado em Ciências Contábeis. Agora só resta cumprir o tempo determinado pela Faculdade, para então concluir o Curso. De fato, já se escreveu para fazer a prova que dará o título de Bacharel para assumir a determinada profissão. Acaz chega ao nível Superior com muita dificuldade, correndo risco e perdendo noites na Faculdade e nas estradas, a fim de conseguir o Diploma de Bacharel com muita alegria.

Com certeza Deus tem iluminado a mente e o caminho de Acaz Ido, a ponto desse jovem que com muito contentamento receberá aos 22 anos de idade o Diploma de Bacharel em Ciências Contábeis. Isso é uma honra para a família de Acaz Ido que muito tem motivado durante esse tempo de estudo na Escola, Colégio e Faculdade. Claro, recebendo a primeira educação em seu lar, porque a boa educação vem do berço, a Escola, o Colégio e a Faculdade são a continuidade onde se aprende a escrever, a ler e a contar para assumir uma determinada profissão.

Agora, depois de 15 anos de estudo, Acaz Ido Galvão da Silva já apresenta a Monografia do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis já quase realizado na UNEB – Universidade do Estado da Bahia.
Que o Senhor Jesus Cristo, agora abra as portas para que meu filho Acaz Ido tenha uma oportunidade no comércio e sirva de bom exemplo para os demais jovens que às vezes ficam desanimados e não querem ir avante por acharem que o estudo é um investimento sem expectativas.  


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

MANHÃ DE SEXTA-FEIRA NA CIDADE DE PINDOBAÇU




Hoje fui à cidade de Pindobaçu, terra de Mário Antônio Querino da Silva, Escritor de Cristo. Passei uma boa parte da manhã de sexta-feira, dia 09 de janeiro de 2015. Foi uma visita muito gratificante, parece que a alma do Escritor de Cristo estava vivendo no Céu, com tanta alegria e satisfação entre as pessoas que, de fato, são conterrâneas, amigas e vizinhas. Isso é muito agradável para um bom cidadão brasileiro que busca a Pátria Celestial com fé, convicção e muita esperança.

E aproveitando o ensejo, o Escritor de Cristo fotografou a Praça Pedro Luiz da cidade de Pindobaçu, pois é uma praça que lhe chama muito a atenção, com suas lindas plantas repletas de flores e aroma. Claro, também há uma parte da praça que tem uma Fonte Luminosa que atrai muito as pessoas, mas desta feita, eu não vi-la funcionando, pois somente deve ser ligada à noite.

Como não gosto de perder o meu tempo, quando vejo um livro bom e edificante, ao passar defronte do Quiosque, vi um irmão com uma banca de livros, os quais me prenderam e consegui um belo livro de Mark Finley & Peter Landless, intitulado “VIVA COM ESPERANÇA”.
Ainda não li o livro, mas já observei todinho e gostei muito de sua estrutura, o seu aspecto é muito agradável, me deixa cada dia com mais inspiração e almejo de escrever com mais intensidade também. De fato, está sendo uma manhã de sexta-feira muito especial para o amigo Escritor de Cristo, Mário Antônio Querino da Silva.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo 

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A VIDA QUEM DEVE SE PREOCUPAR COMIGO

Alguém conversando comigo numa boa, achou que eu estava preocupado com a vida. Então falou para mim com muita preocupação: “Você cuide de sua vida, porque o mundo está oferecendo muitas coisas que aparentemente parecem bem agradáveis, mas no porvir trarão consequências que você se arrependerá e querer voltar atrás, já sendo tarde demais.”
Então respondi: Não estou preocupado com a vida, a vida quem deve se preocupar comigo, pois tenho feito muitas coisas que na minha concepção trazem complicação para a vida, e muitas vezes deixo a vida em situação completamente descomunal. Por isso não vejo motivo para me preocupar com a vida, porque não pedi para nascer e não sou besta para pedir para morrer.
Sei que tenho um tempo determinado para viver e um dia me esperando para ver eu morrer sem nenhum subterfúgio. Então por que vou viver me preocupado com a vida, se a vida longa depende de mim e dos meus feitos? Se eu sei o que edifica a minha vida e o que pode extirpá-la? A vida quem se preocupa comigo e às vezes dou muito trabalho para continuar vivo, e mesmo assim a vida faz de tudo para manter-me estável no mundo. Como a vida se preocupa comigo e eu não estou nem aí! Sabe por que? Porque sei que um dia eu nasci e em outro dia morrerei. Então, a vida que se preocupe comigo e despreocupado eu viva.


Mário Antônio Querino da Silva – Escritor de Cristo