sábado, 21 de setembro de 2019

QUANDO A MENTE ESTIVER DESCONTROLADA, PROCURE UM BOM LUGAR PARA RELAXAR, O IDEAL É AONDE HÁ PROFISSIONAL ESPECIALIZADO QUE TENHA ÉTICA

Poeta Mário Querino 21/09/2019 (Dia da Árvore) 



Quando o funcionário
Psicologicamente
Bem não estiver não,
Não vá ao ambiente


De trabalho nesse dia.
No meu ponto de vista,
É bem melhor o Gestor
Dar o valor já previsto,


Sem a mão-de-obra
Desse funcionário
Do que ter o prejuízo
Maior que o salário


Que tem o funcionário,
Sobretudo ao lidar
Com criatura humana,
Em qualquer lugar.


Não seria bem melhor
Menos e o ambiente
Ser de paz do que ser
Aflito, com tanta gente,


E a intolerância capaz
De tirar o prazer
E a própria vontade
De todos? Já pude ver


Como um funcionário.
Invés de ir ao setor
Do trabalho, negativo,
Vá falar com o Doutor


Pra aliviar sua mente,
E no outro dia você
Trabalhará com ledice
E boa produção vai ter.


O seu emprego não é
Somente para ganhar
Seu bom ou pequeno
Salário, mas para lidar


Com amor e por amor
A entidade que lhe dá
Seu pão de cada dia,
Mas precisa trabalhar  


Em paz, com o prazer,
Com amor e por amor
E deixar a harmonia
Entre colegas do setor.


Então, se a sua mente
Estiver com conceitos
Bagunçados, é melhor
Ficar, penso deste jeito.


Mas você pode indagar:
“Caso, a pessoa estiver
Todo dia sem humor,
A entidade obrigada é


Esperar seu funcionário
Que não se controla?”
Ora, nesse caso, deve
Ser afastado até a hora


Em que o seu intelecto
Volte a ser controlado,
É melhor ficar em casa
Do que deixar agitado


Os colegas da entidade.
No meu entendimento,
O ser humano tem sim
Família, para no tempo


Em que o ente querido
Estiver descontrolado,
Procurar encaminhá-lo
Para o lugar adequado,


E não insistir que ele vá
Ao setor de trabalho,
Perturbar seus colegas
Que seguem seu atalho


Com amor e por amor
A entidade, seja pública
Ou privada nesta Terra.
Quem sabe, me apupa


Por redigir deste jeito,
É a minha obrigação,
E se me calar na Terra,
As pedras protestarão.


Mário Querino – Poeta de Deus

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

AGRADECIMENTOS PELAS LEMBRANÇAS VINDAS DA CIDADE DE BOM JESUS DA LAPA




Anteontem, Prof.ª Ediene,
Colega, amiga e conterrânea
Do Poeta Mário Querino,
Deu uma lembrança bacana,


Uma xícara ao Poeta amigo,
Filho desta amada terra,
Intitulada Bananeiras,
Que fica no pé de serra


Da região norte da Bahia.
Então a Prof.ª Ediene
Foi participar do festejo
Onde o povo pretende


Todo ano estar presente
Para fazer a boa Festa
Tradicional e religiosa,
Lá já foi o pai do Poeta,


Claro, ele voltou jubiloso
Por ter contemplado
Uma grande obra divinal
Onde é bem festejado


O Bom Jesus da Lapa.
Então a Prof.ª Ediene
Neste mês de setembro
Foi participar e pretende


Ir participar outras vezes,
Para cooperar com a Festa
Que acontece todo ano
Nessa cidade. Claro, nesta


Quero também registrar
A lembrança do amigo Bié,
Que é de todo o coração
Compadre de D. Maria José,


E lhe deu um porta-chaves
Bem feito e muito bonito,
É claro, com uma Imagem
Do Senhor Jesus Cristo.


Também registrarei nesta
O pilão que o amigo Tichico
Trouxe de Bom Jesus da Lapa,
Para dar de alma e espírito,


E claro, também de coração
Repleto de alacridade e fé,
A quem acompanha pela TV,
Obviamente, D. Maria José,


Que ao Bom Jesus da Lapa,
Entrega toda a sua crença,
Porém, só participa através
Da TV, na singela residência,


Admirando a quantidade
De devotos ali presentes
Nessa cidade, para festejar
O Padroeiro, bem cientes


Que milagres acontecerão.
Obrigado Prof.ª Ediene,
Por esta chávena linda,
O Poeta disto já entende...


Obrigado meu bom amigo
E conterrâneo Sr. Bié,
Por este porta-chaves lindo
Que deste a D. Maria José,


Obrigado meu conterrâneo
E grande amigo Sr. Tichico,
Por este pilão que deste
A D. Maria José no Distrito


Intitulado Bananeiras,
Meu querido pé de serra,
Onde nasci e quero voltar
Ao pó desta amada Terra.


Mário Querino – Poeta de Deus

Poeta Mário Querino e Prof.ª Ediene 20/09/2019


quinta-feira, 19 de setembro de 2019

QUEM QUISER ENGOLIR A INOCÊNCIA DE UM DOUTOR, QUE ENGULA, MAS O CAIPIRA DO DISTRITO DE BANANEIRAS PÕE GARFO NA GARGANTA PARA QUE NÃO PASSE NADA

Poeta Mário Querino 19/09/2019



Cada tempo em que eu
Analiso este meu espaço,
Ouço vozes e ainda vejo
Os vultos como pássaros


Que voam ao meu redor,
E como animais rugindo
Já querendo tragar sim
O Poeta Mário Querino.


Que não leva nada não,
Em consideração aqui,
Porque já está cônscio
De tudo que ouve por aí


E também de tudo
Que observa numa boa,
Sem julgar nesta Terra
A vivência das pessoas,


Porque todos já são  
Cônscios de tudo isso,
Até neste pé de serra,
O meu amado Distrito.


Às vezes uma vida pode
Ser complexa para mim,
Mas para seu possuidor
É muito feliz ser assim.


Então, se eu vejo que é
Uma vivência sofrida,
Mas para essa pessoa,
Amigo ou minha amiga,


É uma pura felicidade
Que tem nesta Terra,
E às vezes eu comento,
Sem ser no pé de serra


Assim tão feliz e igual
Ao amigo ou à amiga,
Com o seu jeito de ser.
Daí então, cada vida


Tem o direito de viver
E seguir o seu destino.
Então, não vou por ti,
Vai por Mário Querino?


Porque eu posso achar
Que você é uma pessoa
Muito ditosa na Terra,
E vive assim numa boa,


E ao mesmo tempo
Você dizer que sou feliz
Mais do que você aqui
Neste cantinho do país.


Então, cada cabeça
É um mundo que Deus
Fez e faz do pó da Terra.
Então, agora, sofro eu


Pelos meus malfeitos,
E também me regozijo
Pelo bem que eu faço
A mim e aos amigos


Sem interesse próprio,
Pois eu gosto de servir
E não de ser servido,
Por ser ciente que vivi


A ansiedade e loucura,
Já consciente que vou
A qualquer tempo ser
Pó, e graças ao Senhor.


E se eu fosse um cara
Cônscio que não iria
Voltar ao pó, e vivesse
Como eu mais queria,


Não seria gente aqui
Neste mundo tão louco.
Certamente, seria o cão
Correndo entre tocos.


Então, viva como você
Se acha feliz na Terra,
Se eu ver o sofrimento  
Em você no pé de serra,


Mas você é o cara feliz,
Que eu deixe você curtir
Até você aguentar sim,
Quando quiser desistir,


Vá para uma boa Igreja
Agradecer ao Senhor,
Por não ter morrido
Com a ideia de curtidor.


Por um tris, ainda não
Voltou ao pó, ó amigo,
Deixando parentes sim,
Tristes por ter perdido


O cara de Bananeiras,
Por causa de algo lícito
E ilícito que matam sim
Um cara deste Distrito.


Porém o que eu tenho
A ver com tudo isso
Neste meu pé de serra,
Meu querido Distrito?


Claro, nada não, nada
Não, nada não mesmo.
Então, para viver bem,
Eis aí o grande segredo:


Deixar os outros ditosos,
Conforme o seu gosto.
O mundo está aí assim,
Que frua feliz, disposto


E fazendo o que gosta,
Claro, já consciente
Sim do efeito de tudo
Que pensa sua mente,


Ouviram seus ouvidos,
Sentiu cheiro seu nariz,
Viram seus bons olhos,
Falou sua boca no país,


E por último praticou
As suas mãos algo sim,
Ninguém está inocente
Ao fazer algo tão ruim,


Após querer se explicar.
Então é melhor ouvir,
Cheirar, olhar, falar
E depois praticar aqui


Com garantia até o fim,
O que ouve, cheira, fala
Vê e pega com as mãos,
Claro, tudo está na cara.


E o que poderei fazer,
Se o gosto é da pessoa
Viver nesta Terra assim?
Vou me preocupar à-toa


Com uma vida que vive
No planeta Terra,
Conforme sua vontade?
Se no bom pé de serra


Eu não devo controlar
Nem os meus filhos,
Por já serem maiores
De idade neste trilho,


Imagina outra pessoa
Que jamais aceitará
Esta minha ideologia!
E com muita razão está,


Porque ninguém é robô
Neste planeta Terra,
Para ser controlado sim,
Penso neste pé de serra.


Porque já fiz um estudo
Com criança de 5 anos,
Pra saber sua inocência
Neste cantinho baiano.


Então eu dei uma vara
Para essa criança,
Depois eu lhe ordenei:
Vá bater com segurança,


Porque eu não deixarei
Aquele cara te bater.
Daí a criança correu
Para bater sim. Por quê?


Porque a pancada não  
Iria doer no seu corpo.
Mas eu gritei: Ei, para
Por que baterá o outro?


A criança respondeu:
“Porque você mandou.”
Claro, te mandei, então
Mandar agora eu vou:


Bata em você mesmo.
A criança objetou assim:
“Eu sou doido, ó cara,
Para bater em mim?


Dói muito a pancada.”
Daí então eu falei:
Quer dizer, que no cara
Não doeria? Agora sei


Que você já é cônscio.
Então, se uma criança
De 5 anos, é consciente,
Um Doutor na liderança,


É inocente do que faz?
Só besta engole isso
Caladinho numa boa,
Não o caipira do Distrito


De Bananeiras, terra boa
Que exporta gente
Amorosa, observadora,
Sabida e inteligente.


Mário Querino – Poeta de Deus    


quarta-feira, 18 de setembro de 2019

SE JÁ PENSA EM MORRER POR MIM, NÃO MORRA NÃO, POIS NADA PODERÁ FAZER POR MIM, E SÓ CONFIO EM AMIGO VIVO

Poeta Mário Querino 18/09/2019



Alguém indagou assim:
“Tens receio da Morte?”
Respondi: Não. Por que
Eu resmungarei da sorte,


Se eu já estou com 57
Anos de idade na Terra,
Como grande pecador,
Se já sei no pé de serra


Que mataram a Jesus,
Quando Ele só tinha 33
Anos de idade, e eu 57
Anos de vida já cheguei


Nesta Terra tão repleta
De tantas coisas boas
E ainda coisas tão más
Pra usarem as pessoas?


Ora, na verdade, o corpo
É como o planeta Terra,
Cheio de água, de mato,
De seres vivos de serras


E de tudo que há sim,
Basta fazer comparação.
Então, quando a água
Encontra o forte verão,


A terra vai se secando
Aos poucos até secar.
Quando a água se vai
Do corpo, ele já está   


Ficando sim enrugado,
Pelos ficando brancos
Como se fosse o mato
Da Terra. E vendo tanto


Isso, hoje faço essa boa
Alegoria no pé de serra,
Pra mostrar que o corpo
É como o planeta Terra,


Repleto de células vivas
Que sempre vêm sim,
Cada dia morrendo aqui
Neste Universo. E a mim


Não cabe, eu evitar não,
A Morte do meu corpo.
Então, enquanto estiver
Vivo e puder neste louco


Universo tão excelente
Para eu fazer algo certo
Que agrade ao coração,
Mesmo sem o sucesso


Universal, pra ficar rico
E pisar neste pessoal
Do Distrito de Bananeiras
Ou de qualquer local,


Hoje, dou glórias a Deus,
Pelos meus 57 anos,
Pois já tive merecimento
Neste cantinho baiano.


Enquanto, Jesus, sendo
Filho de Deus, o Criador
De céus, Terra e tudo
Que neles há, só chegou


Aos 33 anos de idade
No planeta Terra,
Por morrer por todos.
57 anos no pé de serra,


Já cheguei, e morrerei
Só por mim mesmo.
Então, por que agora,
Eu vou ficar com medo


De viver ou de morrer?
Já sou de tudo cônscio,
Sei que um dia morrerei,
E se morrerei, eu pronto


Estou vivendo na Terra,
E ciente que, se a Morte
Vier a mim, por ter vida,
Morto não tem a sorte


De morrer. Achas que eu
Sou besta para viver
Preocupado com a vida
Ou com a Morte, e ser


Um cara depressivo
E perder a essência sim,
Desta vida nesta Terra?
Jesus morreu por mim,


Eu não vou morrer não,
Por ninguém, pois são
Uns 8 bilhões de gente
Na face da Terra. Então,


Se eu morrer por você,
Quem morrerá sim,
Pelos outros que ficarão
Vivendo até o seu fim?


Então, morro por mim
E você morra por você.
Assim, a vida terá bom
Sentido pra gente viver...


Mário Querino – Poeta de Deus  

QUANDO A MENTE ESTIVER DESCONTROLADA, PROCURE UM BOM LUGAR PARA RELAXAR, O IDEAL É AONDE HÁ PROFISSIONAL ESPECIALIZADO QUE TENHA ÉTICA

Poeta Mário Querino 21/09/2019 (Dia da Árvore)  Quando o funcionário Psicologicamente Bem não estiver não, Não vá ao ambie...