DE CURRAL DE MATANÇA PARA RUA

Rua do Curral - Distrito de Bananeiras 12/12/2015


Eu observando esta rua
Me deu vontade de fazer
Uma poesia sobre a sua
Arquitetura e seu prazer.


Nessa região existia sim
Um curral de matança.
Lembro tintim por tintim,
E não sairá da lembrança.


O curral era exatamente
Onde está esse caminhão,
Dia de quinta-feira a gente
Formava uma multidão


Para assistir mortandade
Do gado que ficava preso
Para o abate. Na verdade,
A gente se acordava cedo


Para não perder a chance
De ver os bois e as vacas
Gordos e bem elegantes
Serem sangrados com faca.


Depois que recebiam sim
Umas fortes machadadas.
Eu via tintim por tintim,
E ainda gritava e pulava


De bom contentamento.
Hoje já dou graças a Deus,
Por mudar o pensamento
Do velho coração meu.


Agora tenho grande prazer
De mostrar aos amigos
Que a rua que a gente vê
É um lugar bem sucedido.


Mário Querino – Poeta de Deus

Poeta Mário Querino 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÁRTIR TIRADENTES

ADOLESCÊNCIA DE MARIA JOSÉ

DIA MUNDIAL DA SAÚDE