POETA MÁRIO QUERINO COME MEL DO ENGENHO DE P. HONORO



Meu filho Acaz trouxe
O bom mel do engenho,
Com alegria eu comi
E sentindo gosto venho.

Já fazia uns 40 anos
Que eu comi deste mel.
Agora estou comendo
E agradeço ao Pai do céu.




O mel ainda está morno
Pois veio agora a pouco
Do engenho de P. Honoro.
Coloquei farinha a gosto

Para lembrar do passado,
Quando meu pai moía,
Eu tinha mel à vontade
E com farinha eu comia.



Mário Querino – Poeta de Deus

Poeta Mário Querino 21/11/2015

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÁRTIR TIRADENTES

LIVROS DOADOS POR RONIWALTER JATOBÁ CHEGARAM HOJE AO COLÉGIO DO DISTRITO DE BANANEIRAS EM PAZ

SEPULTAMENTO DE GILMÁRIO (PICHOLA) FOI REALIZADO DEPOIS DAS 17 HORAS NO CEMITÉRIO DA PAZ DO DISTRITO DE BANANEIRAS