SOU COMO O CANAL DE UM RIO

Pesquisada no Google


Casa travada com viga
Não virá abaixo por ocasião
De tempestade e terremoto.
Assim é a mente de boa reflexão.

O homem que anda prudente
É como estuque em muro polido.
Quem vacila diane de opiniões
Que não têm sentidos,

Não tem nenhuma resistência,
É como cascalho no alto do muro
Que jamais resiste o vento,
Porque não é seguro.

A pessoa que machuca os olhos
Faz cair lágrimas,
E a pessoa que fere o coração
Não guarda suas palavras.

Quem irá colocar um guarda
Na minha boca
E um lacre nos meus lábios,
Para eu não falar coisas loucas?

Sou como o canal de um rio,
Curso d’água que rega o paraíso,
Com amor regarei o meu pomar
E terei frutos preferidos.

Sei que o estômago consome
Todo tipo de alimento,
Contudo, um alimento é melhor
Do que outros em seu tempo.

O paladar distingue o gosto
De qualquer tipo de caça,
E a mente sábia sempre discerne
As palavras insensatas.

Mário Querino – Poeta de Deus 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÁRTIR TIRADENTES

SEPULTAMENTO DE GILMÁRIO (PICHOLA) FOI REALIZADO DEPOIS DAS 17 HORAS NO CEMITÉRIO DA PAZ DO DISTRITO DE BANANEIRAS

ADOLESCÊNCIA DE MARIA JOSÉ