PREJULGAMENTO É DA ÍNDOLE DO SER HUMANO


Poeta Mário Querino 09/08/2017


Eu observando a vida
Da gente, intuí então,
A índole do homem
Que prejulga o irmão.


É fato que ninguém
Controla, já pude ver
No cantinho baiano,
Onde amo escrever


Poesias edificantes.
Uma senhora coçou
A espinha do rosto
E com a mão ficou


Segurando um pedaço
De papel até o sangue
Estagnar no ferimento
Que não era grande.


Então alguém viu isso
E disse curiosamente:
“O que foi isso amiga,
É uma dor de dente?”


Ela respondeu: “Não.
É a espinha que cocei,
O sangue está saindo
E um papel pressionei.”


Alguém prejulgou
Que era dor de dente.
Após chegou outro
Prejulgando diferente:


“Levou murro na cara?”
Ela disse: “Deus é mais.”
Observando tudo isso,
Eu vi que o homem traz


Um pensamento à-toa,
Fala isso ou aquilo,
Mas não tem certeza,
Tudo ainda é um sigilo.


E o que não sabemos,
Não devemos valorizar,
Pois corremos o risco
De arguir quem está


Ingenuamente do fato.
E quem é ignorante,
Não deve ser julgado,
Mas exortado bastante.

Mário Querino – Poeta de Deus



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÁRTIR TIRADENTES

LIVROS DOADOS POR RONIWALTER JATOBÁ CHEGARAM HOJE AO COLÉGIO DO DISTRITO DE BANANEIRAS EM PAZ

SEPULTAMENTO DE GILMÁRIO (PICHOLA) FOI REALIZADO DEPOIS DAS 17 HORAS NO CEMITÉRIO DA PAZ DO DISTRITO DE BANANEIRAS