QUANDO UM NÃO QUER, DOIS NÃO BRIGAM

Poeta Mário Querino 13/07/2015

Alguém quis saber de mim:
“Você briga com a sua mulher?”
Então respondi bem assim:
Como saber de mim você quer,


Eu vou lhe falar francamente,
Já briguei, mas briga moderada,
Quando o debate ficava quente,
Eu jogava um balde d’água.


Eu nunca causei um escândalo,
Ninguém sabe se brigo ou não
Neste cantinho baiano,
Bom cantinho do meu coração.


Agora, eu procuro me controlar
E analisar tudo isso direitinho.
Se uma boba briga eu começar
Fico em casa falando sozinho,


Sem ouvir nada de Maria José.
Se Maria José então começar,
Analiso bem o que ela quer,
Depois deixo ela sozinha falar.


Minha saudosa mãe me dizia:
“Filho, quando um não quer,
Dois não brigam.” Hoje em dia,
Observa isso, eu e Maria José.


Mário Querino – Poeta de Deus


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÁRTIR TIRADENTES

ADOLESCÊNCIA DE MARIA JOSÉ

DIA MUNDIAL DA SAÚDE